Eletroneuromiografia

A Eletroneuromiografia é um método de diagnóstico neurofisiológico usado na avaliação diagnóstica das doenças dos nervos periféricos, plexos, raízes, neurônios motores espinhais, além dos músculos e junções neuromusculares.

O objetivo do exame é localizar  lesões no sitema nervoso periférico, prover informações sobre a fisiopatologia das lesões, avaliar o grau de comprometimento e o curso temporal da lesão.

É indicado para diagnóstico de doenças que afetam todo o sistema nervoso periférico, como as células do corno anterior da medula, as raízes motoras, os plexos, os nervos periféricos, a junção neuromuscular e os músculos.

O tempo gasto durante o procedimento é em torno de 30 a 80 minutos, dependendo da complexidade do caso e das partes do corpo a serem avaliadas.

O paciente deverá colocar uma roupa específica para realizar o exame ou usar roupas confortáveis que dêem acesso à área examinada. O teste é feito por um médico neurofisiologista e composto por duas partes:

A) Neurografia:

São colocados na pele do braço, perna, face ou tronco do paciente alguns eletrodos que conduzirão os impulsos elétricos;

São dados pequenos choques para avaliar a condição do nervo;

Registra-se, pelo eletroneuromiógrafo, a resposta do nervo que está sendo analisado pelo médico;

Aplica-se os choques também nos nervos do membro oposto (braço ou perna) para comparar suas respostas às do nervo analisado.

B) Miografia:

O médico insere eletrodos de agulhas descartáveis muito finas (parecidas com as da acupuntura) nos músculos a serem analisados

O músculo deverá estar em repouso em alguns momentos e em outros deverá ser contraído;

Registra-se, através do eletroneuromiógrafo, a atividade elétrica muscular, tanto em repouso quanto em contração.